Quem conta a melhor história, ganha.

O que fazemos

Na era da saturação mediática nada tem o poder de uma boa história. E as boas histórias estão em todo o lado: no bairro e na empresa, naquela ideia de negócio ou no novo projecto social, na quinta que exporta fruta ou no roteiro para um fim-de-semana fora de portas. É preciso é saber contá-las e fazer delas formatos de media que as pessoas querem ver e a que as empresas e instituições querem associar-se. É isso que fazemos porque quem contar a melhor história, ganha.

Porquê?

A vida acelerou. Nos últimos 20 anos surgiram mais formas de comunicação do que em quatro séculos. Estamos expostos a centenas de mensagens comerciais por dia e vivemos rodeados de conteúdos que andam sempre connosco. Hoje o comando é do consumidor, que escolhe o que quer ver, quando e onde. A batalha pela atenção dos públicos é, por isso, cada vez mais dura e só os conteúdos de excelência criam envolvimento. É por isso que hoje muitas empresas e instituições ambicionam tornar-se empresas de media, criando, produzindo e distribuido conteúdos multimedia e associando-se a boas histórias. Não é facil, mas na True Stories sabemos fazê-lo.

Como?

Na True Stories falamos a linguagem dos media e conhecemos os ingredientes que captam a atenção dos públicos para conteúdos inovadores de referência. Também entendemos a linguagem das empresas e os objectivos das marcas e conseguimos identificar as histórias que têm para contar ou a que devem associar-se. Por isso, criamos formatos inovadores que conciliam todos os interesses.
Thinking
» Ajudamos as marcas e instituições a pensarem media
» Identificamos as histórias que há para contar
» Aconselhamos sobre formatos e meios adequados
Creating
» Concebemos e produzimos formatos audiovisuais inovadores
» Garantimos a distribuição de conteúdos
» Avaliamos o impacto junto dos públicos
Linking
» Planeamos os recursos para cada projecto
» Fazemos o “talent search” de profissionais para a execução de cada conteúdo
» Gerimos a emissão com as plataformas de distribuição

Quem somos

Paulo Ferreira
Partner
Jornalista, metade da vida que já leva passou-a nas redacções, onde fez de tudo um pouco: jornalista, editor, director, comentador, colunista e até estafeta. Integrou as direcções editoriais do Diário Económico, Jornal de Negócios e Público e foi Director de Informação da RTP. Dá-se bem com números e é viciado em informação, que consome a qualquer hora e em qualquer plataforma, embora não goste de o reconhecer. Gosta de ler e de escrever, mas não duvida que o vídeo é o formato democrático do futuro. Licenciou-se em Gestão de Empresas, mas só agora é que está a meter as mãos na massa a sério. Decidiu mudar de vida para ajudar a criar a True Stories porque há sempre um momento em que se passa da teoria à prática. Defensor acérrimo da liberdade económica bem regulada, acredita que somos mais donos do nosso destino do que pensamos. Preferia que a empresa se tivesse chamado Leonardo mas o Estado não aceitou o nome porque nenhum dos sócios se chama assim.
Rute Sousa Vasco
Partner
Jornalista, gestora, empregada, patroa, professora e sempre aprendiz. Mãe do Miguel e da Margarida, os seus interesses maiores na vida. Entre os outros contam-se alguns prazeres da cozinha, escrever, ler e pensar. Foi fundadora do jornal Público, se é que uma estagiária à época pode dizer as coisas assim. Seguiram-se a Revista Exame, o Euronotícias e o Jornal de Negócios. Nunca deixou de ser jornalista, mesmo depois de ter assumido funções de gestão editorial no Portal SAPO. Dizem que foi empreendedora antes de tempo e por isso aprendeu mais cedo que ser patrão é mais trabalho e menos conhaque. Viciou-se na liberdade de ter ideias e de as concretizar. Estudou Relações Internacionais, Marketing e Televisão e Cinema. Dizem que é uma mistura estranha. Discorda, porque tudo é política e o negócio é a suprema das artes. Ou de outra forma, isto anda tudo ligado. Gosta de descobrir pessoas e as coisas espantosas que são capazes de fazer. Gosta de descobrir histórias. Por isso, olha para a True Stories como o ponto de encontro natural de todas estas coisas.

Conte-nos a sua história